CT4ER Évora - Portugal england.jpg
visita.gif

Évora

Cidade Museu lhe chamam e estaria certo se com tal designação não se omitisse que o Museu vibra e respira como um corpo vivo e alegre, serenamente consciente da sua beleza. Cidade-maravilha também se lhe poderia chamar, sem ofensa daquelas a que, com mítico respeito, a Humanidade se habituou a chamar as "Maravilhas do Mundo". Pois não é Évora, ela própria, merecidamente considerada Património da Humanidade?

Aos aprendizes da escrita costuma-se censurar o vício de, perante o muito belo ou o muito horrendo optarem pelo fácil carimbo de "indescritível";. Sem cair na tentação, certo é dizer que não conhecer Évora por experiência própria injustificável desleixo se afigura.

Há que habitar a cidade, ainda que por curta estada para com proveito e prazer lhe conhecer a história e os monumentos e, com os residentes, compartilhar o incomum privilégio de viver o dia - a - dia em tal cenário e atmosfera.

Da bela Pousada dos Lóios ou do Parque de Campismo, com o mesmo entusiasmo se parte para o roteiro da cidade e do concelho que, em vestígios pré- históricos, é dos mais ricos da Península.

No fim, restabelecidas as forças com uma sopa de cardos com bacalhau limado, uns pézinhos de coentrada e um naco de Toucinho da Madre Abadessa por sobremesa, o desafio é encontrar palavras para recriar tudo o que se viu.

LOCAIS DE INTERESSE TURÍSTICO

Évora - Praça de Giraldo - Arcadas. Fonte Henriquina (séc. XVI) e Igreja de Santo Antão (Séc. XVI). Catedral de Santa Maria (sécs. XII XIII) - Claustro (séc. XIV) Capela - Mor (séc. XVIII) e Museu de Arte Sacra. Museu (antigo Paço Arquiepiscopal). Templo Romano (sécs. II III d.C.) Palácio Cadaval e Igreja de S. João Evangelista (grupo de edifícios de gosto gótico - manuelino - mudéjar). Paço dos Condes de Basto (solar acastelado gótico - manuelino). Universidade (séc. XVI estilo clássico barroco) - Claustro, Sala dos Actos e Igreja do Espirito Santo (anexa séc. XVI). Largo da Porta de Moura - Fonte (séc. XVII), antiga Igreja e Convento do Carmo (sécs. XVI XVII), mirante da Casa Cordovil, arcadas quinhentistas Igreja da Misericórdia (séc. XVI) - retábulos de talha barroca e painéis de azulejos de 1716, casa Soure (manuelino) e Torre de S. Manços (vestígios romano - mouriscos). Igreja da Graça (séc. XVI). Igreja Real de S. Francisco (sécs. XV XVI) e Capela dos Ossos. Galeria das Damas do Palácio D. Manuel (séc. XVI). Ermida de S. Brás (séc. XV). Igreja das Mercês (séc. XVII) e Museu de Artes Decorativas. Igreja e Convento de Santa Clara (sécs. XV XVI). Aqueduto da Água da Prata (séc. XVI). Convento do Calvário (séc. XVI).

Arredores - Convento do Espinheiro (séc. XV, profundas transformações posteriores).Convento da Cartuxa (sécs. XVI XVIII).

Boa Fé - Igreja Paroquial de N.ª S.ª da Boa Fé (séc. XVII). Igreja de S. Sebastião da Giesteira (sécs. XVI XVII). Ermida de N.ª S.ª da Conceição da Pedreira (séc. XVIII). Fonte Santa (séc. XVII).

Graça do Divor - Igreja Paroquial (sécs. XVI XVII). Ermida de S. Matias (séc. XVI). Ermida de N.ª S.ª de Monserrate (elementos quinhentistas). Ermida de Santa Catarina (séc. XVI). Solar da Sempre Noiva (sécs. XV XVI).

Guadalupe - Cromeleque dos Almendres.

N.ª S.ª de Machede - Igreja Paroquial (séc. XVII). Castelo Real de Valongo (sécs. XIV XV).

N.ª S.ª da Tourega (Valverde) - Convento e Igreja do Bom Jesus (séc. XVI). Anta Grande do Zambujeiro.

S. Bento do Mato - Igreja Paroquial (sécs. XVI - XVIII). Pelourinho da Azaruja (séc. XVII). Ermida de N.ª S.ª do Carmo (séc. XVIII, grande colecção de ex-votos).

S. Miguel de Machede - Igreja Paroquial (séc. XVI - XVIII).

S. Brás do Regedouro - Igreja Paroquial (séc. XVII - XVIII).

S. Vicente do Pigeiro (Vendinha) - Igreja Paroquial (séc. XVI - XVIII).

Torre de Coelheiros - Igreja Paroquial de N.ª S.ª do Rosário (séc. XVI, profundas modificações posteriores). Solar dos Morgados Cogominhos.

Artesanato - Trabalhos em barro, cortiça, chifre, pele e couro. Mobiliário rústico pintado.

Especialidades - Enchidos, queijos, queijadas, doces conventuais, fedrisco, licor de poejo.

Museus - Museu de Évora (secções de arqueologia, arquitectura, escultura, ourivesaria e artes decorativas). Museu do Brinquedo (no Parque Infantil). Museu da Casa de Cadaval (na Torre das Cinco Quinas, Galeria de Arte conservando núcleos de pintura, escultura e campas de bronze flamengas). Museu de Arte Sacra (na Catedral). Museu de Artes Decorativas (na Igreja das Mercês). Museu do Artesanato (temporariamente encerrado).

Salas de Exposições - Palácio D. Manuel. Posto de Turismo. Grupo Pró - Évora. Museu de Évora. Inatel. Galeria Teoartis. Galeria Évora Arte.

Animação - Circuitos dos Monumentos Megalíticos. Semanas Gastronómicas. Teatro. Jornadas de Música Clássica. (Julho). Festival Évora Clássica (Julho). Encontros Musicais de Tradição Europeia (Agosto). Caça turística. Pesca desportiva e turística e desportos náuticos (nas albufeiras de Divor e Monte Novo). Piscinas. Ténis. Circuitos em todo - o - terreno. Passeios a pé, de bicicleta, a cavalo e em balão. Kartódromo.

FESTAS, FEIRAS E ROMARIAS - Feira de S João (Junho).

O conteúdo desta página foi retirado de um folheto cedido pelo Posto de Turismo de Évora.

Voltar para a página de CT4ER

Top